34 99983-8589

NO AR

Apresentação

Com Roberto e Meirinho

Geral

Impressora 3D cria tecido cerebral que se comporta como o real

Publicada em 19/02/24 às 15:03h - 3 visualizações

por Rádio Noroeste fm


Compartilhe
 

Link da Notícia:

Já andei falando por aqui na importância da impressão 3D. Mostramos até uma casa construída com impressão 3D. Veja de novo aqui.

A novidade agora é que cientistas da Universidade de Wisconsin-Madison desenvolveram uma nova técnica de impressão 3D para criar tecido cerebral humano que se comporta de maneira semelhante ao tecido real. A pesquisa, publicada na revista Cell Stem Cell, abre caminho para novas maneiras de estudar o cérebro e desenvolver tratamentos para doenças neurodegenerativas.

A técnica utiliza uma "bio-tinta" composta de células-tronco neurais e um hidrogel de suporte. As células-tronco neurais são células indiferenciadas que podem se desenvolver em diferentes tipos de células cerebrais. O hidrogel fornece um ambiente estrutural para as células crescerem e se desenvolverem.

A equipe de pesquisa imprimiu o tecido cerebral em camadas finas, uma de cada vez. As camadas foram cuidadosamente organizadas para criar uma estrutura tridimensional que imita a arquitetura do cérebro humano.

Após a impressão, o tecido cerebral foi incubado em um ambiente de cultura que promoveu o crescimento e a maturação das células. Em apenas algumas semanas, as células-tronco neurais se desenvolveram em diferentes tipos de células cerebrais, incluindo neurônios, astrócitos e oligodendrócitos.

O tecido cerebral impresso em 3D foi capaz de realizar várias funções importantes, como:

  • Propagar impulsos elétricos: Os neurônios no tecido cerebral impresso em 3D foram capazes de se comunicar uns com os outros através de sinapses, as junções entre os neurônios.
  • Responder a estimulações: O tecido cerebral impresso em 3D foi capaz de responder a estimulações químicas e elétricas, indicando que estava funcionalmente ativo.
  • Formar redes neurais: Os neurônios no tecido cerebral impresso em 3D se organizaram em redes complexas, semelhantes às redes neurais no cérebro humano.

As descobertas desta pesquisa são promissoras para o futuro da pesquisa do cérebro e do desenvolvimento de novos tratamentos. O tecido cerebral impresso em 3D pode ser usado para:

  • Estudar doenças neurodegenerativas: O tecido cerebral impresso em 3D pode ser usado para estudar doenças como Alzheimer, Parkinson e Huntington. Os cientistas podem usar o tecido para identificar os mecanismos subjacentes às doenças e testar novos medicamentos.
  • Desenvolver novos tratamentos: O tecido cerebral impresso em 3D pode ser usado para desenvolver novos tratamentos para doenças neurodegenerativas. Os cientistas podem testar a segurança e a eficácia de novos medicamentos no tecido antes de testá-los em humanos.
  • Reparar danos cerebrais: O tecido cerebral impresso em 3D pode ser usado para reparar danos cerebrais causados por acidentes vasculares cerebrais, lesões cerebrais traumáticas ou doenças neurodegenerativas.

A pesquisa sobre o tecido cerebral impresso em 3D ainda está em seus estágios iniciais, mas as descobertas até agora são muito promissoras. Esta tecnologia tem o potencial de revolucionar a maneira como estudamos e tratamos doenças do cérebro.

Até o próximo post...




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Enquete
Qual dessas Redes Sociais voce acessa?

 Facebook
 Instagram
 Twitter
 Youtube







.

LIGUE E PARTICIPE

Visitas: 31277
Usuários Online: 35
Copyright (c) 2024 - Rádio Noroeste fm
Converse conosco pelo Whatsapp!